O problema do “eu”

Jesus contou uma parábola sobre um homem rico que produziu uma excelente safra e ficou ainda mais rico. “Ele pensou consigo mesmo: ‘O que vou fazer”? Não tenho onde armazenar minha colheita’.

“Então disse: ‘Já sei o que vou fazer”. Vou derrubar os meus celeiros e construir outros maiores, e ali guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. E direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens armazenados para muitos anos. “Descanse, coma, beba e alegre-se”. Lucas 12:17-19

Qual era a linguagem desse homem?  “Eu, meu e minha.”  Ele tinha um grande problema com o “eu” Não conseguia ver Deus. Estava convencido de que tinha adquirido suas riquezas com suas próprias forças. Ele esqueceu que Deus enviou a chuva e o sol (Levítico. 26:4 e Mateus. 5:45)

Ele esqueceu que Deus havia lhe dado a capacidade de produzir riquezas (Deuteronômio. 8:17,18) Não conseguia ver os outros. O egoísmo desse homem fez com que se esquecesse do seu próximo e principalmente de Deus.

Embora seja bom usufruirmos das alegrias materiais que Deus nos dá, (1TImóteo. 6:17-19), precisamos nos questionar sobre as maneiras de como usaremos esses bens para abençoar outras pessoas (Atos 11:28,29). Como estamos usando o que nos foi dado por Deus?  PREGAÇÃO DA PALAVRA

  • Marcio Gama