O MAR MORTO

BOLETIM DOMINICAL, 08 DE JULHO DE 2018

O Mar Morto é tão salgado que não contém nem peixes, nem plantas marinhas. O que contribui para que o mar tenha essa condição de tanto sal e nada de vida é que suas águas não fluem para nenhuma parte. Esse lago recebe as águas vindas do Rio Jordão, mas dele não há vazão de água.
Na nossa vida espiritual, muitas vezes isso também pode acontecer. Somos alimentados e nutridos através da leitura da Palavra de Deus, dos cursos oferecidos pela congregação, no sermão do culto, nas aulas da escola dominical, nos estudos do grupo casa, e outros eventos, porém, mesmo assim, ocorre de não sermos produtivos em nosso trabalho para Cristo. Ficamos parecidos com o Mar Morto, pois só estamos recebendo, só existe a entrada de conhecimento, mas não há saída, não produzimos o fruto de boas obras.
Deus espera que seus verdadeiros adoradores procurem ser alimentados dia a dia, se fortaleçam e cresçam na fé e no conhecimento, porem Ele também espera que os frutos desse crescimento apareçam.
O Mar Morto é abundante em sais que lhe proporciona uma beleza diferenciada que é admirada por muitos, mas recebeu esse título justamente por não possibilitar quase nenhuma forma de vida. Em nossa vida espiritual se aquilo que recebemos do nosso Pai celestial não for compartilhado e não fluir para outras pessoas, seremos como o Mar Morto onde ocorre a escassez de vida.
Vamos compartilhar a benção que recebemos do nosso Deus para que haja vida em abundância para todo aquele que crer.
Marcos 16:15-16. “E disse-lhes: Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.”
Cesar Santos